Translate

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Série Passos Na Fotografia - Lentes Intercambiáveis

Se você optou por comprar uma câmera compacta, simples ou avançada, ou uma superzoom, essa parte da série servirá apenas a título de informação, visto que não precisará se preocupar com lentes por enquanto. Mas, se a opção foi por alguma das outras categorias citadas no post anterior, a questão que vem em conjunto quando se decide por câmeras de lentes intercambiáveis são as lentes em si.

Assim como no primeiro post da série, buscarei elencar algumas características que considero importantes em uma lente de maneira geral. Existem algumas classificações aceitas entre os fotógrafos que são interessantes para guiar uma compra inicial ou, ainda, para auxiliar na decisão entre duas lentes. Porém, a partir do momento que se inicia no mundo da fotografia, a sua experiência e rumos que queira dar ao seu trabalho ou hobby é que irão ditar as escolhas de lentes.

Em primeiro lugar, entender as definições de distância focal e abertura do diafragma é fundamental para entender as diferenças de uma lente, ou objetiva como é também conhecida, para outra.

Características Básicas


Estas características básicas são itens que são comuns a todas as lentes e relacionam-se diretamente ao seu uso na fotografia, tanto do ponto de vista de do que se deseja fotografar (distância focal), quanto como se deseja fotografar (abertura). Assim, poderá entender um pouco mais quando vir na descrição de uma lente que ela é 50mm f/1.8, por exemplo.


Distância focal


Numa definição tirada da wikipedia, "A distância focal de uma objetiva é determinada a partir dos pontos nodais até dos focais, ou seja, é a distância, em milímetros, entre o ponto de convergência da luz até o ponto - sensor ou filme em máquinas fotográficas e filmadoras - onde a imagem focalizada será projetada." Ou, em resumo, é a denominação em milímetros de uma lente que expressa o ângulo de visão que ela proporciona e, consequentemente, a distância aparente dos objetos focalizados. Assim, a grosso modo, quanto maior o valor em milímetro, mas longe conseguimos ver. 

A partir dessa definição, as lentes são classificadas em grande angulares, normais ou teleobjetivas. Sendo que:

  • Grande angulares são assim denominadas pelo amplo ângulo de visão - valores de milímetros baixos;
  • Normais são lentes que proporcionam um ângulo de visão mais próximos ao do olho humano - geralmente são milímetros que se aproximam da extensão da diagonal do sensor ou filme, sendo de cerca de 35mm em um sensor APS-C ou 50mm em um sensor Full frame, por exemplo;
  • Teleobjetivas são as lentes que propiciam tirar fotos de objetos mais distantes, milímetros maiores, geralmente associadas ao termos de zoom (mas aprenderá com o tempo que zoom é a relação de aproximação que uma lente proporciona, entre suas maior e menor distância focal e não o valor específico de milímetros).
Exemplo de diferente distâncias focais e o ângulo de visão que proporcionam.

Abertura  


A abertura de uma lente está relacionada com a quantidade de luz que uma lente consegue captar através de seu diafragma para o sensor (ou filme) da câmera. Na nomenclatura de uma lente, é o número que vem acompanhando um "f/" e representa a relação entre o diâmetro da abertura do diafragma e a distância focal da lente. As lentes modernas possuem abertura variável e este número representa a maior abertura que é possível atingir, mas que pode ser fechado de acordo com o tipo de exposição que o fotógrafo deseja fazer, de quanto de luz ele precisa captar, a sua influência na profundidade de campo, etc.

Matematicamente falando, f = DF/A, onde DF = distância focal e A = abertura. Pode-se, portanto, notar que quanto maior o número f, menor é a abertura física. Assim,  f/1.0> f/1.4> f/1.8 > f/2> f/2.8> f/4> f/5.6 e assim por diante. A cada passo de abertura em que se dobra a quantidade de luz que entra na lente, diz-se que a sua exposição aumentou em um stop ou um valor de exposição (EV).

Exemplo de diferentes aberturas de um mesmo diafragma.

Talvez o efeito mais buscado com uso da abertura é o controle de profundidade de campo, que além da influencia do tamanho do sensor como citado aqui, é extremamente influenciado e definido pela combinação entre distância focal e abertura. Mais especificamente relacionado a grandes aberturas, que facilitam conseguir o efeito de desfoque de parte do quadro, ou o famoso fundo desfocado. Enquanto, por outro lado, pequenas aberturas permitem que todo o quadro esteja em foco. Este tutorial explica bem o que é profundidade de campo, que é um conceito muito importante dentro da fotografia.

Tipos de Lentes


Zoom vs Prime


Existem duas grandes subdivisões na classificação de lentes, que deparamos assim que começamos a vasculhar um pouco mais sobre lentes: lentes de distância focal fixa (primes) ou lentes com distância focal variável (zoom). Estas oferecem uma flexibilidade de aplicações para o fotógrafo, permitindo a sua aplicação em diferentes categorias, enquanto as primes geralmente oferecem uma melhor qualidade de imagem a um preço mais acessível, devido a sua construção relativamente simples quando comparadas Às zooms. Geralmente, as lentes zoom claras, que possuem maior abertura, são caras e pesadas quando comparadas a primes claras.

Exemplo de uma lente prime da Nikon e uma zoom da Canon. Praticamente todos os sistemas de lentes intercambiáveis possuem lentes primes e zooms.

É importante notar que existe uma particularidade na expressão da abertura em uma lente zoom em relação às fixas, visto que, nas zooms mais baratas, a abertura máxima pode variar de acordo com a distância focal. Assim, uma lente de kit que geralmente acompanha as câmeras de entrada tem sua nomenclatura como expresso abaixo:

18-55mm f/3.5-5.6, onde:

  • 18mm é a menor distância focal da lente
  • 55mm é a maior distância focal da lente
  • f/3.5 é a maior abertura em 18mm
  • f/5.6 é a maior abertura em 55mm

Daí pode-se concluir que não será possível a utilização de abertura maior que f/5.6 (f/4.5, f/4/, f/3.5) quando a lente estiver em sua distância focal máxima. o uso de f/3.5 apenas será possível em 18mm ou um pouco mais que isso. Quando uma lente zoom possui apenas um valor após o f/, como por exemplo, 70-200mm f/2.8, quer dizer que é possível utilizar abertura f/2.8 mesmo estando com a lente em 200mm. Acho o conteúdo do Cambridge in Colour bastante interessante para esclarecer esses pontos.

Classificação por Aplicação


Regras gerais em fotografia sevem apenas para orientar o fotógrafo em um ponta-pé inicial, pois com experiência é possível conseguir bons resultados com qualquer equipamento de qualidade (espero um dia chegar a esse nível). Nesta linha, existe um senso comum sobre a aplicação de determinadas distâncias focais e aberturas de acordo com o tipo de fotografia que se deseja fazer. Mas, como quase toda regra, existem exceções e pode-se utilizar uma lente para qualquer aplicação.

Abertura:


  • <f/4 para retrato de pessoas: grandes aberturas proporcionam fundo desfocado;
  • >f/8 para fotos de paisagens: pequenas aberturas permitem que todo o quadro esteja em foco.

Distância focal:


  • Grandes angulares (<35mm) para paisagens: devido ao grande ângulo de visão oferecidos, permite que obtenha uma imagem mais aberta. Há situações, porém, que grandes distâncias focais permitem um melhor enquadramento quando se tem uma paisagem distante;
  • Normais (35mm < 50mm) para fotojornalismo: geralmente com o uso de lentes fixas para mais discrição, esse range de distância focal é preferido pela sua proximidade com o ângulo de visão que temos a olho nú;
  • Teleobjetivas curtas (85mm < 200mm) para retratos de pessoas: devido à distância que o fotógrafo deve se manter da pessoa fotografada com essas distâncias focais, evita-se uma compressão de planos mais pronunciada, evitando que o rosto das pessoas pareçam mais largos e achatados. Combinadas com uma grande abertura maximizam o efeito de desfoque, conhecido como bokeh
  • Teleobjetivas longas (>200mm) para esportes e vida selvagem: por serem assuntos que demandam uma distância considerável para a localização do fotógrafo, são as lentes mais utilizadas para estes tipos de fotografia. 
A Sigma 300-800mm f/5.6 EX DG HSM impressiona com o seu alcance e abertura constante de 5.6 em todo o range.

Afinal, Qual Lente Comprar?


As câmeras de entrada, e até mesmo algumas avançadas, são oferecidas com lentes de kit, quando o fabricante oferece um desconto significativo na lente por estar sendo comprada em conjunto com a câmera. São lentes com especificações relativamente modestas, compostas em sua maioria por lentes zoom de abertura variável, mas que oferecem uma qualidade muito boa para o preço pago no kit. A boa qualidade que oferecem, aliado à variedade de distâncias focais cobertas por essas lentes, permitem que o fotógrafo iniciante pratique bem os conceitos fotográficos e, com tal prática, defina qual tipo de lente mais atende ao seu estilo fotográfico antes de fazer um investimento mais pesado.



Desse modo, caso ainda não tenha um estilo fotográfico definido ou dinheiro sobrando para comprar lentes mais caras, é bastante seguro começar com a melhor lente de kit disponível junto com a câmera que deseja comprar e, com o tempo, investir em lentes que venham a complementar o resultado final que procura. Vale lembrar também que as distâncias focais são expressas com o ângulo de visão em filme 35mm ou sensor full frame. Portanto, deve-se aplicar o fator de corte do tamanho do sensor da câmera para se obter a distância focal equivalente. Por exemplo, uma lente 35mm em um sensor APS-C seria equivalente a 35 x 1.5 = 52.5mm. Ou seja, seria aproximadamente equivalente a se utilizar uma lente de 50mm em uma câmera com sensor FF.